Nem Vanessa da Mata escapa do preconceito quando o assunto é cabelo cacheado

2506 Views 2 Comments

Felipe Andreoli estreou no programa “ Encontro com Fátima Bernardes” dando um ‘show de preconceito”, ao falar do cabelo da cantora Vanessa da Matta,  nesta segunda-feira (26). Enquanto conversavam sobre cabelos crespos, o repórter  disparou:  “A gente, Vanessa, que tem o mesmo estilo de cabelo, quando a gente corta, não tem como não notar. Não é?”,  em tom de brincadeira sem graça.

RTEmagicC_80fd5fc9cd.jpg

 

Vanessa respondeu de forma séria, apesar do tom de “humor” Felipe. “Olha, mais ou menos, depende. O cabelo encaracolado, geralmente molhado, é aqui [apontando para a cintura]. Mas se você corta, parece que não aconteceu nada”, respondeu a cantora.

“Mas ele seco, na chuva, não acontece nada”, respondeu Andreoli, arrancando risos da plateia. Vanessa, então, foi direta e retrucou ao repórter. “Você tem que parar com esse bullying com o nosso cabelo, porque já tem bullying demais por aí”.  “Só não dá pra jogar para o lado”, ainda insistiu Felipe. “Claro que dá”, finalizou incisiva,  dando exemplo de consciência do que é ter cabelo crespo.

Parabéns para a Vanessa que não caiu o “oba oba” e tratou o assunto como se deve, com austeridade. Para quem conhece Andreoli, não é surpresa o humor indelicado e insensível aos direitos humanos que vem desde os tempos do CQC, programa de humor (inteligente ???) onde fazia piadinhas preconceituosas!

Em abril de 2013 um garoto foi suspenso da escola por causa do cabelo black, já no ano passado, uma jornalista alega ter sido impedida de tirar o passaporte porque se negou prender o cabelo – também Black Power-  para tirar a foto. Em outro episódio de preconceito a dançarina da cantora Anitta foi chamada de “cabelo de vassoura de bruxa” pelo apresentador Fausto Silva….

Nós só lamentamos a insensibilidade e a ignorância deste repórter preconceituoso que faz  piada com um assunto tão sério, pois o cabelo mexe com a autoestima de todos, tenha cabelo cacheado ou não.

O que o Felipe não sabe é que somos felizes assumido o cabelo que nasce conosco e que dá pra jogar pro lado sim, dá pra fazer penteado sim, e dá pra  se sentir leve e livre com o cabelo cacheado. E pra ter certeza disto basta olhar para própria Vanessa que faz questão de  manter  seus cabelos cacheados com a consciência do quanto é importante, para nós, e principalmente, nossas crianças,  nos reconhecermos através de pessoas fortes e bem sucedidas que afirmam a sua personalidade ao assumir o cabelo crespo e cacheado.

Fonte: Correio da Bahia

 

 

2 Comments
  • Elaine

    Responder

    Sem mimimi gente, mas dá muita vontade de fazer trocadilhos com o Matta do nome e o mata na semântica, rs. Pronto falei.

    • Maiara Fernandes

      Elaine, não é mimimi. Não sei se você leu toda a matéria, mas falamos de outras pessoas que não são da família “da Mata” e sofreram preconceito por causa do estilo adotado. Estamos falando de uma realidade enfrentada no cotidiano de muitas e muitos de nós que resolveram assumir o cabelo afro.

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.