No dia da consciência negra selecionamos alguns filmes e livros que ajudam na reflexão sobre a temática

2770 Views 2 Comments

O Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, faz  referência ao dia de morte de Zumbi, o grande líder do quilombo dos Palmares, respeitado herói da resistência antiescravagista, p0r isto, escolhido como um símbolo da luta e resistência dos negros escravizados no Brasil, bem como da luta por direitos que seus descendentes reivindicam. Desde 2011 o dia é dedicado à reflexão sobre  a trajetória da comunidade negra no Brasil e a inserção do negro na sociedade brasileira. Separamos alguns filmes e livros sobre a temática racial, que discutem temas como o preconceito e a inserção social.

 

Filmes:

Quanto vale ou é por quilo?

10807976_768750999827603_1191713636_n

Quanto Vale ou É por Quilo? é um filme brasileiro de 2005, do gênero drama, dirigido por Sérgio Bianchi. O filme faz uma analogia entre o antigo comércio de escravos e a atual exploração da miséria pelo marketing social, que formam uma solidariedade de fachada. O filme critica ONGs e suas captações de recursos junto ao governo e empresas privadas.

 

O sol é para todos

10804942_768751253160911_899680678_n

O sol é para todos – Jean Louise Finch (Mary Badham) recorda que em 1932, quando tinha seis anos, Macomb, no Alabama, já era um lugarejo velho. Nesta época Tom Robinson (Brock Peters), um jovem negro, foi acusado de estuprar Mayella Violet Ewell (Collin Wilcox Paxton), uma jovem branca. Seu pai, Atticus Finch (Gregory Peck), um advogado extremamente íntegro, concordou em defendê-lo e, apesar de boa parte da cidade ser contra sua posição, ele decidiu ir adiante e fazer de tudo para absolver o réu.

 

A negação do Brasil

10806915_768751453160891_1944783466_n

 

Vencedor do Festival É Tudo Verdade de 2001, o documentário traz à tona a história das lutas dos atores negros pelo reconhecimento de sua importância na história da telenovela brasileira. O filme é enriquecido ainda mais com depoimentos de atores como Milton Gonçalves, Ruth de Souza, Léa Garcia, Zezé Motta e Maria Ceiça, entre outros, que contam suas experiências e discutem o preconceito contra artistas negros. O diretor Joel Zito Araújo, baseado em suas memórias, e em uma minuciosa investigação, analisa as influências das telenovelas nos processos de identidade étnica dos afro-brasileiros. Junto ao documentário, o autor lançou no mesmo ano (dezembro de 2000) o livro “A Negação do Brasil – o negro na telenovela brasileira” pela Editora Senac.

 

Histórias Cruzadas

 

10807018_768751619827541_239641915_n

Histórias Cruzadas é um filme de comédia dramática, que surgiu do livro romance homônimo de Kathryn Stockett. O filme é um retrato sobre uma mulher caucasiana, Eugenia “Skeeter” Phelan, e o seu relacionamento com duas empregadas negras durante a era americana dos Direitos civis nos Estados Unidos de 1960. Skeeter é uma jornalista que decide escrever um livro da perspectiva das empregadas (conhecido como The Help), mostrando como elas estão sofrendo racismo na casa de brancos.

 

A cor púpura

10818969_768751963160840_1869042257_n

 

A Cor Púrpura  é um filme estadunidense de 1985, do gênero drama, dirigido por Steven Spielberg e baseado no romance epistolar da premiada escritora afro-americana Alice Walker, que trata de questões de discriminação racial e sexual.

 

Livros:

 

 

download

A Escravidão no Brasil, Jaime Pinsky, Editora Contexto –  Na reedição desta obra de referência no estudo da escravidão brasileira, o renomado professor Jaime Pinsky aborda temas como vida cotidiana, as lutas pela liberdade e a sexualidade. O sofrimento do negro e sua revolta em relação à sua condição são tratados de maneira criteriosa, com uma profunda avaliação do momento histórica e seu contexto.

 

8571600570

Negro, Qual é Seu Nome?, Consuelo Dores Silva, Mazza Edições – A ideologia do branqueamento e o mito da democracia racial parecem ter como causa fundamental o medo que a minoria branca brasileira tem da maioria negra e mestiça, e do possível antagonismo a ser gerado a partir da exigência de direitos de cidadania e de respeito às suas diferenças étnico-culturais. Isso porque a aceitação democrática das diferenças pressupõe igualdade de oportunidades para os segmentos que apresentam padrões estéticos e valores sócio-culturais diferentes.

 

zumbi-o-despertar-da-liberdade-julio-emilio-braz-3914-MLB4887321145_082013-F

Zumbi – O Despertar da Liberdade, Julio Emílio Bráz, Editora FTD – Descreve o prazer de ser senhor de si mesmo e de seu próprio destino. Um menino de rua descobre e refaz a aventura fascinante de Zumbi, encontrada nas páginas de um livro.

 

mulato-negro-nao-negro-e-ou-branco-nao-branco-eneida-de-almeida-dos-reis-8587770063_200x200-PU6ecaafae_1

Mulato: Negro – Não negro e ou Branco – Não branco, Eneida de Almeida dos Reis, Editora Altana – É o único livro do gênero que aponta as peripécias e dificuldades vividas pelos mestiços de brancos e negros, os pejorativamente chamados mulatos, no processo de construção de sua identidade coletiva e individual.

 

 

9788526010208

Gosto de África – Histórias de Lá e Daqui, Joel Rufino dos Santos, Editora Global – Histórias daqui e da África, contando mitos, lendas e tradições negras. Com um olhar crítico e afetuoso, o livro fala também de personagens da história do Brasil e de um tempo de escravidão, luta e liberdade, ajudando a compreender nossa cultura.

 

mai_assinatura

2 Comments

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.